Director Carlos Rosado de Carvalho

Quando e quanto o kz vai desvalorizar é a questão!

Quando e quanto o kz vai desvalorizar é a questão!

O País ficou a conhecer esta semana a estratégia económica de curto prazo do Governo, plasmada no "Plano intercalar (Outubro 2017 a Março 2018) - medidas de políticas e acções para melhorar a situação económica e social".
O Plano intercalar é o terceiro documento que o País conhece em três anos depois das "Medidas para fazer Face à Situação Económica Actual" de Fevereiro de 2015 e das "Linhas Mestras da Estratégia para a Saída da Crise Derivada da Queda do Preço do Petróleo no Mercado Internacional" de Fevereiro de 2016.
No essencial, os objectivos dos três documentos e as medidas preconizadas para os atingir não são muito diferentes.
Não sendo as medidas assim tão diferentes será que podemos esperar resultados diferentes (para melhor já que os planos anteriores revelaram-se autênticos fracassos)?
Tenho esperança que sim. Se no essencial não há grandes diferenças, há "pormaiores" que podem fazer toda a diferença.
Refiro-me em concreto à política cambial. Reequilibrar o mercado cambial é uma pré-condição para restaurar a estabilidade macroeconómica - condição necessária embora não suficiente para voltar ao crescimento.

Reequilibrar o mercado cambial quer dizer desvalorizar a taxa de câmbio oficial do Kz, reduzindo o seu diferencial face ao mercado informal.
Na página 15 do Plano intercalar, o Governo não só reconhece que "a moeda nacional continua sobrevalorizada" como afirma "que este desequilíbrio deve ser resolvido de forma sustentada". Em quanto é que o Kz está sobrevalorizado? O Executivo não diz, mas lembra que, em Novembro de 2016, o Fundo Monetário Internacional "estimava que a taxa de câmbio efectiva real de Angola encontrava-se sobrevalorizada, num intervalo entre 8-42%" para de seguida concluir "que a mesma precisa ser ajustada, com o objectivo de Angola tornar-se mais competitiva com o resto do mundo".
O Plano intercalar deixa-me poucas dúvidas que o kz vai desvalorizar, a questão agora é quanto e quando. Não me atrevo a dizer quando, mas sou de opinião que quanto mais cedo melhor. Quanto ao quanto, recordo que um documento interno do Governo divulgado pelo Expansão no final de Julho de 2016 propunha duas desvalorizações até ao final do ano passado: a primeira para 198,997 Kz por USD, no terceiro trimestre e a segunda para 215,477 Kz por USD, no quarto trimestre. Ou seja, o USD devia ter fechado 2016 nos 215 Kz e um ano depois continua nos 165 Kz.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i