Director Carlos Rosado de Carvalho

Preservação e prevenção

Preservação e prevenção

Muitas das empresas Angolanas descuidam as áreas de higiene e segurança, esquecendo que é na perseverança e prevenção que está a estabilidade dos seus recursos humanos, bem como a garantia de produtividade e diminuição do absentismo.

A palavra higiene é derivada do nome da deusa grega da saúde, conhecida como Hygeia, filha de Asklepios e irmã de Panacea.
Enquanto o seu pai e a sua irmã se preocupavam com o tratamento de doenças existentes, Hygeia preocupava-se com a preservação da boa saúde e a prevenção de doenças.
Constatamos, por isso, que a higiene está de longa data intimamente ligada à saúde, pois é através de cuidados base que se evitam doenças, em muitos casos o envelhecimento precoce. Quando falamos de higiene, ao nível das empresas, falamos de higiene ocupacional, que requer cuidados preventivos e o desencadear de atitudes pró-activas em relação à perseveração da saúde. Higiene Ocupacional é, por isso, a ciência que tem como principal função antecipar, reconhecer, avaliar e controlar os perigos para a saúde no ambiente de trabalho, com o objectivo de promover e criar hábitos saudáveis, que garantam a higiene e bem-estar dos trabalhadores e da comunidade onde se inserem, incluindo família e amigos.
Actuando na identificação de agentes perigosos, sejam eles químicos, físicos ou biológicos, no local de trabalho e que possam causar doenças ou desconforto, a higiene ocupacional garante, através da definição de factores chave de sucesso, a monitorização e controlo das actuações em cada zona da empresa.

(Leia o artigo na integra na edição 450 do Expansão, de sexta-feira 01 de Dezembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i