Director Carlos Rosado de Carvalho

Fazer mais fazendo melhor

Fazer mais fazendo melhor

Fazer melhor é bom, fazer bem é melhor, no entanto, fazer as duas coisas é o ideal.

Dizer a si mesmo que pode fazer melhor não é perda de tempo, pois o mais importante é que tome consciência de que é possível fazer mais fazendo melhor.
Num estudo realizado pelo Prof. Andrew Lane, da Universidade de Wolverhampton, foram testadas as habilidades fisiológicas, que ajudavam as pessoas a melhorar o seu desempenho num jogo.
Os métodos utilizados foram a autoconversa, imagens motivacionais e planeamento se... então (uma simulação do planeamento estratégico).
Concluiu-se que as pessoas que utilizaram a autoconversa, diziam a si mesmas "eu posso fazer melhor da próxima vez..."
Cada uma dessas habilidades, foi aplicada a uma das quatro partes da tarefa competitiva, processo, resultado, controlo de excitação e instrução.
A autoconversa relacionada com resultado foi aquela que obteve os melhores benefícios, onde genericamente consideravam, na perspectiva de resultados, "eu consigo bater a minha melhor pontuação...", no que respeita a processos consideravam, "eu posso reagir mais rapidamente...", quanto a imagens motivacionais interiorizavam "neste jogo vou superar-me a mim mesmo...".
Numa primeira conclusão, poderemos dizer que para melhorar é preciso que sejamos sinceros e capazes de conversar com dedicação e sinceridade com nós próprios, fazendo em cada momento uma "autoscopia" ao nosso desempenho, seja ele profissional, social ou familiar.


(Leia o artigo na integra na edição 464 do Expansão, de sexta-feira 16 de Março de 2018, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i