Director Carlos Rosado de Carvalho

"Conheço menos da cultura de Angola do que eu gostaria"

"Conheço menos da cultura de Angola do que eu gostaria"

Conhecido em Angola através da TV Globo, Pedro Bial conta que gostaria de entrevistar o escritor angolano José Eduardo Agualusa. O jornalista revela não ser um bom gestor de finanças, mas ressalta que é um bom gestor de gestores das suas finanças.

Pensou sempre em fazer televisão?
Na verdade não. Quando eu estava na universidade, queria fazer cinema e fiz um curso que me habilitava em cinema e jornalismo. Eu trabalhava em cinema, mas quando precisei de um trabalho mais estável foi em televisão que apareceu a oportunidade. Então, fiz um curso, fui aprovado e comecei a minha história na televisão e no telejornalismo.


Como surgiu o desafio do "Conversa com Bial"?
Acho que foi uma consequência da minha carreira de jornalista e que depois teve uma abertura no seu caminho quando me envolvi no entretenimento, ao apresentar o "Big Brother Brasil". Essa abertura acabou desembocando no programa "Na Moral", que era um programa de debates semanal. Eu interpreto hoje que o "Conversa" foi consequência da experiência de três anos no "Na Moral". Quando surgiu o convite para suceder ao Jô, surgiu o "Conversa". Então, acho que foi a junção do jornalista, que eu fui durante toda a minha carreira, com o apresentador envolvido com o entretenimento que se formou com o "BBB", a âncora de um programa de debates. Ao juntar isso tudo, estava ali um profissional que poderia conduzir um talk show diário, como o "Conversa com Bial".


(Leia o artigo na integra na edição 438 do Expansão, de sexta-feira 08 de Setembro de 2017, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i