Ford lança investimento de mil milhões USD na África do Sul

Ford lança investimento de mil milhões USD na África do Sul
Foto: D.R.

A Ford vai investir mais de mil milhões USD na África do Sul para expandir a sua fábrica de Silverton, localizada em Pretória, onde será produzida uma nova versão da pick-up Ranger, a partir de 2022, destinada ao mercado nacional e ao mercado de exportação, no qual se inclui o Reino Unido.

Trata-se do "maior investimento nos 97 anos de história da Ford na África do Sul", como frisou o director de operações do grupo Ford para o mercado internacional, Andrea Cavallero, uma semana depois de a Toyota anunciar também planos para produzir o Corolla Cross na África do Sul, no final deste ano.

Estes dois investimentos reforçam a aposta da indústria automóvel na África do Sul. No ano passado, a Volkswagen divulgou planos para a produção da segunda geração da pick-up VW Amarok na fábrica de Silverton, fruto de uma parceria entre as duas empresas e onde será montado também o novo Ford Bakkie.

"Este investimento modernizará ainda mais as nossas operações na África do Sul, ajudando-as a desempenhar um papel mais importante na recuperação e no crescimento das nossas operações globais, bem como a nossa aliança estratégica com a Volkswagen", afirmou Dianne Craig, presidente da Ford para o Mercado Internacional, em comunicado.

Com o novo investimento, a "fábrica de Silverton deve gerar receitas que representam mais de 1,1% do Produto Interno Bruto da África do Sul, que em 2019 totalizou mais de 350 mil milhões USD, de acordo com o Banco Mundial", refere o Detroit News, jornal de Detroit, nos EUA, onde está localizada a sede mundial da Ford.

Dois terços do investimento de mil milhões USD da Ford serão aplicados em actualizações de tecnologia e novas instalações, que incluem uma nova oficina com tecnologia robótica e centros de formação, num total de 683 milhões USD. E 365 milhões USD destinam-se à actualização de equipamentos nos principais fornecedores da fábrica de Silverton, que deverá ser totalmente autossuficiente em energia e neutra em carbono até 2024, frisou Andrea Cavallero.

Com os planos de expansão na África do Sul serão criados 1.200 postos de trabalho directos, que farão subir o número de trabalhadores da Ford para os 5.500, e 10 mil novos empregos em toda a rede de fornecedores da marca.

"As amplas actualizações e as novas tecnologias de produção de última geração impulsionarão a eficiência de toda a nossa operação na África do Sul, desde a entrega sequenciada de peças directamente para a linha de montagem até ao aumento da velocidade da linha de produção de veículos e precisão de montagem", sublinhou o director de operações para o mercado internacional da marca.

O investimento em Silverton, que vai aumentar a capacidade instalada de produção na África do Sul de 168 mil para 200 mil veículos, é conhecido um mês depois de a Ford anunciar o encerramento das três fábricas que tinha no Brasil, mantendo apenas as vendas, assistência e manutenção no país. "Essa decisão foi tomada somente após perseguirmos intensamente parcerias e a venda de activos. Não houve opções viáveis", refere a Ford numa carta dirigida aos revendedores, citada pela Globo. O encerramento das fábricas no Brasil, após "anos de perdas significativas" desde a crise económica de 2015, afecta 5 mil empregos.

A aposta da indústria automóvel em África deve-se ao facto de ser um mercado promissor, tendo em conta o crescimento populacional, as taxas relativamente baixas de veículos e as perspectivas de crescimento económico, como aponta um relatório da Deloitte de 2018.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i