Mota-Engil com quebra de 35% no volume de negócios em Angola

Mota-Engil com quebra de 35% no volume de negócios em Angola
Foto: D.R.

Angola com uma quebra de 35% no volume de negócios da Mota- Engil em 2020, quando comparado com 2019, também contribuiu para os resultados líquidos negativos de 20 milhões de euros que o grupo registou o ano passado. Moçambique teve uma diminuição de 21%, e na globalidade do continente africano chegou aos 24%, devido a constrangimentos logísticos.

Na apresentação dos resultados do ano passado, a construtora portuguesa revelou que registou um resultado líquido negativo de 20 milhões de euros devido ao registo de provisões de 39 milhões de euros, dos quais 30 milhões directamente relacionadas com a pandemia. Em 2019, o grupo tinha tido lucros de 27 milhões.

O volume de negócios da Mota-Engil totalizou 2,4 milhões de euros, menos 17% face aos 2,9 milhões do ano anterior, chegando a quebra aos 26% fora da área de engenharia e construção.

O desempenho da empresa, traduzido pelo EBITDA, recuou 9% para 380 milhões de euros, com a margem a aumentar para 16%.
Apesar das quebras, o ano 2020 foi de encomendas recorde de 6.052 milhões de euros, valor que não inclui o maior projeto da história da Mota-Engil, que a empresa conseguiu na Nigéria, orçado em 1,8 milhões USD.

Exceptuando a Europa, no qual o grupo cresceu 15% nas áreas da engenharia e ambiente - mantendo os mesmos níveis de 2019 em Portugal e crescendo 65% na Polónia -, as operações da Mota-Engil foram penalizadas em 2020 pela pandemia, sendo de realçar as quebras no volume de negócios na América Latina.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i