Cartel de cinco empresas vai explorar manganês

Cartel de cinco empresas vai explorar manganês
Foto: D.R.

Cinco empresas, todas elas sociedades anónimas, vão explorar, em conjunto, a primeira mina de manganês, em Angola. Localizada entre o Cuanza Norte e Malanje, começa a operar este mês e terá uma produção média mensal de 10 mil toneladas.

O projecto mineiro enquadrado no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN), prevê atingir até finais deste ano cerca de 40 mil toneladas por mês de manganês (produto usado na produção de aços especiais, tendo em conta a sua resistência, anti-desgaste e rigidez).

Propriedade da desconhecida empresa MN-Kitota, constituída em 2019 com um capital social de 100 mil Kz, conta com a parceria da Metallis, Ferrangol, que já chegou a ser extinta, Comanganês e Varejo, a mina foi concessionada no ano passado, numa extensão de 576 quilómetros quadrados, na área situada entre os municípios de Cacuso, Calandula, na província de Malanje, abrangendo também Samba Caju (Cuanza Norte).

Nessa sociedade, a Ferrangol, empresa de capitais maioritariamente públicos, aparece com a força de trabalho, enquanto a Metallis entra com o dinheiro.

Com o objectivo de avaliar os preparativos para o seu arranque, uma delegação do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleos e Gás, chefiada pelo director nacional dos Recursos Minerais, André Buta Neto, esteve, essa semana, na região e espera-se que o empreendimento entre em operação na segunda quinzena.

(Leia o artigo integral na edição 619 do Expansão, de sexta-feira, dia 9 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i