109 aviões inoperantes acumulam dívida de 13,5 milhões USD

109 aviões inoperantes acumulam dívida de 13,5 milhões USD
Foto: César Magalhães

As 109 aeronaves inoperantes no Aeroporto de Luanda acumulam uma dívida de 13,5 milhões USD que correspondem ao tempo de estacionamento no local, desde Fevereiro de 2016 até Fevereiro deste ano, de acordo com estatísticas da Divisão de Operações Ar e Terra do aeroporto, a que o Expansão teve acesso, tendo até Junho para regularizar a dívida, de acordo com edital do Ministério dos Transportes.

Trata-se de aviões inoperantes das companhias AAS; Diexim; Geofoto; Sonair; Air 26; SAL; OSB; Airjet; Mavewa, bem como aviões da Presidência da República, que ocupam vários espaços no estacionamento entre a zona remota (parte final do aeroporto onde não há movimento), o hangar e a placa A.

Do valor global da dívida, os aviões da presidência representam 43%, isto é 5,8 milhões USD. Ou seja, o valor da tarifa a pagar pelo estacionamento depende do peso máximo de descolagem, tendo os aviões da PR um peso superior ao das outras aeronaves. Segundo fonte ligada à aviação civil, "alguns aviões pertencem a antigos e actuais governantes, mas foram registados em nome das companhias para terem acesso às matrículas nacionais" a fim de operarem no mercado nacional. Aliás, os aviões precisam obter um certificado de aeronavegabilidade, seguindo-se uma inspecção física do aparelho, feita pelos técnicos do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAVIC). A fonte acrescenta que os aviões que estão fora de uso podem ser
vendidos à indústria siderúrgica para evitar acidentes aéreos.

(Leia o artigo integral na edição 619 do Expansão, de sexta-feira, dia 9 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i