"A necessidade aguça o engenho, e no digital também"

"A necessidade aguça o  engenho, e no digital também"
Foto: D.R.

A pandemia teve um impacto brusco e repentino em todos os sectores e indústrias. Os modelos estabelecidos de comunicação, controlo e gestão tornaram-se obsoletos com o pôr-do-sol, e com o nascer do dia surgiu a necessidade de ligar colaboradores a partir das suas casas aos sistemas internos (VPNs, acesso ao IM e e-mail da organização a partir do exterior tornaram-se uma necessidade básica) e de encontrar novas formas de interacção com os clientes.

Assim, a procura pela inovação e resiliência digital nunca foi tão elevada, a experiência do cliente tornou-se uma competição, os portais e aplicações móveis transformaram-se na montra principal e ponto de entrada primordial para a operativa, bem como captação de novos clientes. Com as limitações de deslocação dos clientes, bem como dos seus colaboradores, as organizações encontram-se presas a um modelo operativo tradicional e com necessidade de mudança e transformação dos seus canais de comunicação, distribuição e comercialização.

A necessidade de reestruturação torna-se não apenas um objectivo de redução de custos ou maximização da eficiência, mas também numa necessidade para superar e recuperar as adversidades actuais. Os processos tradicionais carecem agora de evolução, para processos digitais e resilientes à nova realidade. Os sistemas carecem cada vez mais de mecanismos de integração que permitam uma operativa em contínuo, bem como o acompanhamento do processo, o cliente passou a estar também no processo e espera este acompanhamento em tempo real na sua aplicação ou plataforma de excelência. A situação actual tornou-se assim um catalisador, um acelerador para a necessária evolução digital da organização tanto a nível tecnológico, como estratégico. A necessidade de um modelo de negócio digital para resposta às necessidades do mercado nacional, como além-fronteiras, força as organizações a questionar o seu modelo operacional.

De acordo com um estudo da KPMG sobre os impactos do Covid-19 na Transformação Digital 67% das organizações viram-se obrigadas a acelerar a sua evolução digital, e 63% necessitaram de efectuar um aumento dos seus budgets definidos para o efeito. A necessidade de organizações mais resilientes, verificou a maioria do investimento nas seguintes componentes-chave de transformação: 83% em ferramentas de colaboração; 80% em computação na cloud; 65% em sistemas de Integração; e 60% em serviços de gestão e operações de TI. A necessidade de evolução digital evoluiu assim para uma continuidade de operativa na actual realidade, mantendo ainda assim as oportunidades para optimizações dos processos internos e externos, bem como geração de nova oferta de serviços mediante parcerias e outras plataformas.

*Senior Manager de IT Advisory da KPMG

(Leia o artigo integral na edição 620 do Expansão, de sexta-feira, dia 16 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i