Malparado em queda para valor mais baixo desde Março de 2017

Malparado em queda para valor mais baixo desde Março de 2017
Foto: César Magalhães

O malparado sobre o total de crédito da banca nacional caiu para o valor mais baixo desde Março de 2017, ao fixar-se nos 18,41% até ao final de 2020, influenciado pela cedência de 80% da carteira de crédito de cobrança duvidosa do BPC à Recredit, no valor de 951 mil milhões Kz, de acordo com os indicadores de solidez do mercado compilados pelo Banco Nacional de Angola (BNA) e consultas do Expansão junto de fontes do sector.

Os indicadores do banco central não dão explicações sobre as razões da queda do crédito vencido há mais de 90 dias, nem as origens do malparado por bancos, mas banqueiros e analistas de crédito de duas instituições bancárias garantem que a "solução" foi a operação que visou limpar o balanço do BPC.

Este recurso também já foi apontado pelo próprio governador do banco central, José Massano, ao confirmar, no Fórum Banca do Expansão, em Setembro do ano passado, que o recuo do nível do malparado estava associado ao processo de reestruturação do principal banco de capitais públicos, o BPC, indicando para a estratégia de cedência de activos tóxicos daquele banco de capitais público à Recredit.

Até 31 de Dezembro do ano passado, o stock de crédito do sector bancário estava avaliado em 4,6 biliões Kz. Considerando o nível de malparado de 18,41% do período, significa que, do stock geral de crédito da banca, 844 mil milhões Kz estava malparado.

Se por um lado a queda do nível do malparado teve como base a cedência dos activos tóxicos do BPC, em contrato de cedência assinado no dia 2 de Junho de 2020, por outro está a reavaliação dos activos da banca que tem obrigado os operadores do sector bancário a constituírem imparidades sobre os créditos em situação irregular, além de outras exigências de reformas de capital.

Isto significa que, à partida, no balanço de 2020, os bancos arriscam-se a encaixar menos lucros do que o recolhido no exercício anterior, quando a totalidade dos bancos obteve resultados líquidos de 119.955 milhões Kz.

(Leia o artigo integral na edição 621 do Expansão, de sexta-feira, dia 23 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i