Petróleo barato do Irão pressiona exportações de Angola e Brasil

Petróleo barato do Irão pressiona exportações de Angola e Brasil
Foto: D.R.

A China aumentou para números recordes a importação de petróleo do Irão para uma média de 557 mil barris de petróleo por dia, o equivalente a 5% das importações de petróleo do país asiático, segundo a consultora Refinitiv Oil Research.

Segundo avançou a Reuters, as importações recordes de petróleo do Irão pela China nos últimos meses reduziram o espaço para compras de produtores concorrentes, forçando vendedores como Angola, Brasil e Rússia a reduzir preços e diversificar embarques para a Índia e Europa.

O petróleo do Irão começou a entrar na China no final de 2019, apesar de duras sanções dos EUA, mas os volumes aumentaram a partir do final do ano passado, à medida que o petróleo se recuperou para preços acima dos 60 dólares e compradores foram atraídos pelas perspectivas de que os EUA retirassem as sanções sob o governo agora liderado por Joe Biden.

"Estão a esmagar as ofertas de todos outros lugares, uma vez que são baratos demais", disse um trader chinês citado pela Reuters, referindo-se ao petróleo iraniano vendido entre 6 e 7
dólares por barril abaixo dos valores praticados nos mercados.

(Leia o artigo integral na edição 622 do Expansão, de sexta-feira, dia 30 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i