É preciso desburocratizar o Estado e apostar mais no sector social  

Relatório do Cinvestec chumba distribuição da despesa pública 

Isabel Costa Bordalo 

Angola dedica 51% do seu orçamento ao sector social, que inclui gastos com educação, saúde e protecção social, e a África do Sul reserva uma fatia de 82%, constata o Centro de Investigação Económica da Universidade Lusíada de Angola (Cinvestec), no relatório económico de 2020, apresentado
quinta-feira, dia 17, que questiona a eficácia da distribuição do dinheiro e aponta a uma melhor racionalização dos gastos.  

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i