Presidente do AfreximBank em Angola com 1,3 mil milhões USD na bagagem para diversos sectores

Presidente do AfreximBank em Angola com 1,3 mil milhões USD na bagagem para diversos sectores
Foto: Cipra

O presidente do Banco Africano de Exportações e Importações - AfreximBank, que se encontra em Angola, com uma delegação de empresários, trouxe uma "lufada" de 1,3 mil milhões USD para financiar diversos investimentos no País

Recebidos esta quarta-feira pelo Presidente João Lourenço, no final o Governo anunciou no seu portal que mil milhões de dólares são para implementar em diferentes projetos ligados ao sector da energia e águas, bem como carteiras de crédito para apoiar os bancos nacionais.

O presidente do AfreximBank, Benedict Oramah, falou de questões estruturantes para Angola, nomeadamente "o projeto de fornecimento de água à cidade de Luanda, orçado em cerca de 900 milhões de dólares, e o projeto do Corredor Ferroviário do Lobito, orçado em cerca de três mil milhões de dólares", anunciou o Governo angolano.

Com base no portal do Governo, o encontro entre o Chefe do Executivo angolano e o presidente da instituição multilateral de financiamento de comércio pan-africano, sediada no Egipto, abordou a tão falada futura ligação ferroviária entre Luanda e Cuito, bem como os caminhos-de-ferro de Luanda e Benguela, e os projetos de construção e concessão da refinaria e do porto do Lobito.

"Outro assunto tratado entre as partes foi a vacina contra a Covid-19, uma vez que o Afreximbank foi mandatado pela União Africana para comprar 270 milhões de doses", sendo que uma parte destinar-se-á a Angola, refere o Governo.

Um dos empresários que integra a delegação é o egípcio Ahmed El Sewedy, cujo grupo a que preside - El Sewedy Power - esteve envolto numa polémica com o actual Presidente angolano, quando em 2018 revogou, por despacho, alegando "interesse público", um contrato de 33,8 milhões USD atribuído em 2016, ao grupo egípcio, pelo anterior chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, para o fornecimento e instalação de sete grupos geradores GE-16V228, com o objectivo de reforçar a capacidade de produção de electricidade da central termoeléctrica de Saurimo (Lunda Sul) em 19,6 megawatts.

No âmbito desta decisão, a Lusa fez um levantamento de outros dois despachos de Eduardo dos Santos a favor da Elsewedy, que totalizaram 340 milhões USD, apenas no espaço de tempo de um mês, concretamente em Janeiro de 2016.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i