Intolerância

Intolerância

Caríssimos, temos de inverter este quadro de intolerância que parece estar a tomar conta da nossa sociedade. Não faz nenhum sentido gastar grande parte da nossa energia a ofender e a caluniar o parceiro, apenas porque tem uma opinião diferente da nossa.

Temos de aprender a ouvir e a respeitar os que não pensam como nós, questionando as ideias e não pessoas. Quando olhamos para as nossas debilidades temos de assumir que precisamos de boas soluções e essas "aparecem" com inclusão e não com exclusão. Esta moda de que se o outro faz um comentário que não estamos de acordo, em vez de levarmos a discussão para as ideias, atiramos directamente para a pessoa, a sua origem, a sua religião, a sua conduta, humilhando a pessoas para desprezar a sua ideia, não tem nada de bom.

Temos, todos, de tomar um banho de enorme humildade e educação, assumirmos que não somos os melhores e os mais "iluminados", respeitar as diferenças, respeitar as experiências alheias e entender que quem pensa diferente não é um inimigo. Aliás, essa é a maior conquista da democracia, o direito à diferença. Maioria não é unanimidade, e ainda bem, porque é a única forma de podermos evoluir enquanto sociedade. Se estivéssemos todos de acordo em tudo, nada se desenvolvia. E nem havia amarelo. Éramos todos azuis.

Custa-me ver o tom da argumentação quando alguém toca num problema que não é unânime. Antes de desmontar o discurso, tenta-se desmontar a pessoa, muitas vezes com ofensas e faltas de respeito, que são inadmissíveis nos valores que defendemos, mas que depois nos esquecemos na hora de os aplicar. Confesso que esta crescente onda de intolerância e crispação me preocupa, porque empurra, muitas vezes, a relação entre as pessoas para um caminho sem retorno. E o País precisa de todos. Mas pior, não resolve nenhum dos nossos problemas, pelo contrário, cria mais alguns.

E, caríssimos leitores, não tenham a ilusão que isto é natural, é dos novos tempos, que a culpa é das redes sociais. Não! A culpa é de nós todos que muitas vezes não resistimos a ofender o outro porque achamos que se apagarmos uma luz a nossa brilha mais. Não! Até os pirilampos andam em grupo, juntos, aproveitando a luz de todos para se orientarem, e sobreviverem. Pense comigo, quem é que ganha com este ambiente? Pense bem da próxima vez que ofender uma pessoa em vez de discutir a sua ideia. Não se deixe contagiar por esta onda que parece estar a tomar conta da nossa vida, e que tenho para mim, não é feita de forma inocente. Resista, seja educado, tolerante e respeite o direito à diferença!

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i