Receita do Porto de Luanda dispara 66% para 82,6 mil milhões Kz em 2020

Receita do Porto de Luanda dispara 66% para 82,6 mil milhões Kz em 2020
Foto: Quintiliano dos Santos

A receita do Porto de Luanda disparou 66% para 82,6 mil milhões Kz em 2020, apesar da quebra no tráfego de navios e na movimentação de cargas, comparativamente ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com a administração da empresa portuária, o aumento do volume de negócios deveu-se, em grande parte, à gestão directa do Terminal Multiusos e da receita dos contratos com rendas fixas e variáveis.

As contas foram favorecidas também pela taxa de câmbio, em função dos fretes indexados ao dólar. Segundo o director de contabilidade e património do Porto de Luanda, Omar Matos, que falava durante o balanço das actividades da empresa, nos últimos dois anos, a receita rondou os 49,7 mil milhões Kz. O gestor fez saber ainda que a saída da Soportos da gestão do Terminal de Cargas Multiusos, representou 53% da receita total arrecada pelo Porto de Luanda no ano passado.

Quanto aos resultados líquidos, no ano passado, também se registou um incremento de 100%, ou seja, o Porto de Luanda facturou 31,5 mil milhões Kz, em 2020, contra os 15,7 mil milhões, em 2019. Omar Matos avançou que, do valor arrecadado, cerca de 9 mil milhões Kz foram gastos em impostos e 7 mil milhões entregues ao único accionista, Estado.

A administração do Porto de Luanda explica que a saída da Soportos da gestão do Terminal Multiusos contribuiu também para o aumento do volume de negócios do principal porto do País.

Em termos de tráfego, a empresa registou, em 2020, um movimento de 3.456 navios, contra os 4.024 que acostaram no Porto de Luanda, representando uma quebra de 14% face ao período homólogo do ano anterior, ou melhor, no ano passado passaram menos 568 navios pelo Porto de Luanda.

Quanto à movimentação de mercadorias, o abrandamento do comércio internacional, cortou 7% das mercadorias que chegaram ao Porto de Luanda, o que representa uma redução de 477 mil toneladas em 2020, comparativamente ao mesmo período do ano anterior.

A quebra registada nas importações de mercadorias, no ano passado, é justificada com a crise da pandemia da Covid-19, refere a administração do Porto de Luanda. Em 2020, entraram no País 6,6 milhões de toneladas de mercadorias diversas, contra as 7,1 milhões em 2019, representando uma redução de 7%. Em termos de projecções, espera-se que este ano a movimentação de carga atinja as 7 milhões de toneladas.

Quanto aos serviços, registou-se um aumento de 505%. No ano passado, o Porto de Luanda arrecadou 24,3 mil milhões Kz, com a prestação de serviços, contra os 4,0 mil milhões de 2019, representando um aumento de 505%.

No entanto, os custos com o pessoal também aumentaram, passando dos 7,9 mil milhões Kz, em 2019, para os 10,7 mil milhões Kz. O aumento deve-se à actualização de carreiras e ao ingresso de 22 novos trabalhadores, com a absorção do pessoal do Terminal Multiusos, refere a administração do Porto de Luanda, que passa a contar com 461 trabalhadores.

Apesar do equilíbrio das contas, nem tudo vai de vento em popa. Ainda há vários constrangimentos que impactam negativamente na vida da empresa.

Para alinhar o Porto de Luanda aos padrões internacionais e regionais, o administrador para a área comercial do Porto de Luanda, Miguel Pipa, disse que está a ser elaborado um plano director que poderá estar concluído em finais de Fevereiro, de modo a orientar as acções da empresa.

Em termos de ranking, o Porto de Luanda ocupa a quarta posição na região, estando atrás dos portos do Congo, Namíbia e África do Sul.

Em relação ao contrato de concessão do Terminal Multiusos, assinado com a Dubai Ports World (DP World), Miguel Pipa explicou que o acordo é vantajoso pelo facto de o Porto de Luanda passar a contar com ganhos de natureza do investimento.

O contrato compreende a reabilitação da infra-estrutura física do cais do terminal, com 610 metros, uma profundidade de 12,5 metros, numa área de 181 mil e 70 metros quadrados e uma capacidade para movimentar 2,6 milhões de toneladas por ano. A concessão permitirá a reabilitação e aquisição de equipamentos que permitirão a transição da operação do terminal, para uma operação alicerçada em gruas modernas, em linha com as melhores práticas internacionais. De recordar que o acordo prevê também um investimento de 190 milhões USD ao longo do período de concessão, bem como o pagamento de valores superiores a 440 milhões USD. Os pagamentos ao longo do período de concessão irão representar um valor superior a mil milhões USD, dos quais 150 milhões USD pagos na data de assinatura do contrato.

O porto de Luanda é a maior infra-estrutura portuária nacional, sendo responsável por 70% das movimentações de cargas de e para Angola.

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i