Peso do petróleo no PIB em queda desde 2016, comércio em sentido inverso

Peso do petróleo no PIB  em queda desde 2016, comércio em sentido inverso
Foto: César Magalhães

Por cada 100 Kz de riqueza criada em Angola em 2020 cerca de 33 Kz tinham origem na extracção e refinação de petróleo bruto, de acordo com as contas preliminares do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Desde 2016, ano em que se verificou a primeira das cinco recessões económicas consecutivas que o país atravessa, a estrutura da economia angolana sofreu algumas alterações. Naquele ano, por cada 100 Kz de riqueza, 39 Kz tinham origem no sector de extracção e refinação de petróleo bruto.

Já o comércio, o segundo sector que mais contribui para o PIB, foi o sector que ganhou mais no peso face a 2016, passando de 13% do total do PIB para 16% em 2020. A construção caiu de 10% para 9%, enquanto o sector da administração pública, defesa e segurança social também ganhou peso no PIB, ao passar de 8% para 9%. O mesmo aconteceu com os serviços imobiliários e aluguer, cujo peso no PIB passou de 5% em 2016 para os actuais 6%. Por outro lado, a agro-pecuária manteve os mesmos 5% do PIB, enquanto a indústria transformadora passou de 4% para 5%.

O PIB real corresponde aos bens e serviços finais produzidos durante um ano avaliado a preços constantes de um determinado ano, no caso das contas nacionais trimestrais o INE utiliza os preços de 2002. Embora seja um indicador importante, a evolução da composição do PIB real por si só não permite
tirar conclusões definitivas sobre a diversificação da economia, devendo ser complementada com outros indicadores, como a composição do PIB em termos nominais, utilizando os preços do ano corrente, das exportações e das receitas públicas.

(Leia o artigo integral na edição 621 do Expansão, de sexta-feira, dia 23 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i