Estágios e 1 milhão de Kz para vencedores de concurso da CMC

Estágios e 1 milhão de Kz para vencedores de concurso da CMC
Foto: César Magalhães

A Comissão do Mercado de Capitais (CMC) vai lançar, ainda este mês, a primeira edição do concurso de investigação científica, denominado "CMC e as Universidades". O concurso, com um prémio no valor de 1 milhão Kz, é direcionado a todos os alunos finalistas nacionais, de todas as idades, que estudem em universidades angolanas, desde que tenham boa fluência escrita e falada da língua portuguesa.

O objectivo do concurso é a criação de canais que permitam aos jovens universitários investigar e explorar os seus conhecimentos sobre o mercado de valores mobiliários, através da elaboração de projectos fundamentais para a dinamização do mercado de capitais angolano e premiar os candidatos com o melhor desempenho. A iniciativa visa ainda envolver o grupo-alvo na dinamização do mercado de capitais, estimular o conhecimento sobre o Mercado de Valores Mobiliários (MVM) e a realização de investigações científicas sobre temas relacionados.

Segundo a CMC, para a elaboração do projecto de investigação, os estudantes irão trabalhar em grupos de cinco elementos, em temas relacionados com o mercado de valores mobiliários.

À equipa vencedora do concurso será atribuído o valor monetário de 1 milhão de kwanzas, equipamento informático, bem como estágios profissionais, por um período de três meses na CMC, para todos os elementos da equipa vencedora.

Os interessados podem remeter a informação indicada no regulamento, para o endereço electrónico cmc.universidades@cmc.gv.ao até ao dia 31 de Maio. O apuramento da equipa vencedora está previsto para o mês de Setembro e a divulgação entre os meses de Outubro e Novembro.

Para o economista Wilson Chimoco, iniciativas como estas trazem mais valias para os participantes, ao incentivar o espírito inventivo e de investigação.

"Na generalidade das universidades que leccionam cursos sobre ciências económicas existe uma cadeira ou um módulo que versa sobre os mercados de capitais. E, com uma ou outra dificuldade, penso que as bases teóricas têm sido passadas", afirma Chimoco, notando que iniciativas como estas, "que vêm aliar a teoria à prática, podem efectivamente contribuir para uma melhor adequação dos currículos em virtude das perspetivas que se fazem sobre os mercados de capitais".

(Leia o artigo integral na edição 622 do Expansão, de sexta-feira, dia 30 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i