Jovem, mulher e residente em Luanda, este é o perfil do desempregado angolano

Jovem, mulher e residente em Luanda, este é o perfil do desempregado angolano
Foto: D.R.

Jovem com idade entre os 15 e os 24 anos, sexo feminino e residente em Luanda, este é o perfil da maioria dos desempregados do país no final do I trimestre de 2021, de acordo com o Inquérito sobre o
Emprego e o Desemprego do INE.

No final de Março, o INE registou 4.744.020 de desempregados, em que 53,1% são mulheres e 46,9% são homens. Do total de desempregados, 2.945.540 são jovens entre os 15 e os 24 anos de idade, ou seja 62% do total.

Já a taxa de desemprego na área urbana (42,1%) é cerca de três vezes superior à da área rural
(14,5%), com o inquérito do INE a evidenciar que a taxa de desemprego nas zonas rurais tem vindo
a cair, depois de ter fechado 2020 nos 15,6%. Mas será que se estão a criar empregos de qualidade com
uma componente de estabilidade a médio e longo prazo?

Segundo o investigador Fernandes Wanda, a resposta é não: "um aumento da população empregada
no meio rural é uma indicação de que se está a criar empregos precários dada as condições de vida nessas zonas".

"Sabendo que a população angolana reside maioritariamente nas cidades (censo 2014 indicou ser 62,6% urbana vs. 37,4% rural), será que está a haver uma deslocação da população dos centros urbanos para as zonas rurais (devido a crise nas cidades)? Sabemos que devido à pandemia o movimento das populações
está limitado, com uma cerca sanitária em Luanda o maior centro urbano. Então concluímos que se está a haver essa deslocação da população ela poderá estar a ocorrer fora de Luanda. Estes são aspectos que precisam ser clarificados pelo INE", diz o investigador Fernandes Wanda.

(Leia o artigo integral na edição 629 do Expansão, de sexta-feira, dia 18 de Junho de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i