Consórcio EUA/Angola tem três anos para construir refinaria

Consórcio EUA/Angola tem três anos para construir refinaria
Foto: D.R.

O consórcio Quanten, vencedor do concurso para a construção da refinaria do Soyo, com capacidade para processar 100 mil barris de petróleo por dia, espera edificar a infra-estrutura em 3 anos, depois de investir 3,5 mil milhões USD.

Quando concluída esta será a terceira refinaria no País, depois Luanda e Cabinda, que está em fase de construção.

Já em 2015 tinha sido anunciada a construção da refinaria do Soyo, numa parceria entre a China International Fund (CIF), que tinha como accionista principal, o chinês Xu Jinghua "Sam Pa", e a Sonangol, mas que nunca se concretizou.

Sediado em Londres, o Quanten Consortium Angola é constituído pelas empresas americanas TGT, Quantem, Aurum&Sharp e pela empresa de direito angolano Atis-Nebest, a primeira nacional a entrar na construção de refinarias neste processo de relançamento da refinação a nível nacional.

"Do lado angolano é um motivo de orgulho participar num projecto desta dimensão e é um sinal de que a angolanização está a acontecer. Devagar, mas está a acontecer", disse ao Expansão Dionísio Viegas, um dos sócios da Atis-Nebest.

Segundo o responsável, as parcerias são uma das formas das empresas angolanas se poderem afirmar. "Neste sector tão competitivo, não havendo parcerias é complicado as empresas angolanas vingarem. Mas logicamente que as empresas angolanas têm que crescer dentro desta via", disse.

Dionísio Viegas, que considera para já uma aposta ganha fazer parte do consórcio que deverá construir a refinaria do Soyo, vê nesta escolha uma forma de homenagear o responsável pela entrada da empresa angolana no projecto. "Para que isso se tornasse realidade contámos com a participação de um colaborador de nome António Izata, que infelizmente faleceu no ano passado. Foi ele que orquestrou todo este processo", concluiu Dionísio Viegas, sócio da empresa angolana integrada no consórcio escolhido pelo Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, para a construção da refinaria na província do Zaire.

Em comunicado, a Quanten Consortium Angola avança que a empresa angolana vai prestar apoio na gestão, engenharia, construção e operações nas suas áreas de especialização.

O documento explica que a refinaria do Soyo será construída com o mais alto padrão de sustentabilidade ambiental por algumas das maiores empresas americanas do sector de Petróleo e Gás, tendo como parceiro tecnológico de engenharia a empresa KBR.

(Leia o artigo integral na edição 616 do Expansão, de sexta-feira, dia 19 de Março de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i