O impacto de um líder

O impacto de um líder
Foto: D.R.

A minha inspiração para escrever está hoje interligada com os sentimentos relacionados com a celebração de mais um aniversário da minha avó materna, que celebraria mais um ano hoje.

Na sua ausência, resta-me lidar com o vazio da saudade, lidar com as memórias que foram vividas e partilhadas com ela, mas acima de tudo uma certeza dos valores e princípios que ela me passou, tais como bondade, determinação, honestidade, resiliência, este era certamente o mais impactante. E uma certeza eu tenho: ela nunca pediu que fizéssemos como ela, mas as suas acções diziam tudo, mesmo que por vezes eu não a compreendesse. A minha avó era cega, mas era capaz de fazer todas as actividades de casa. Era capaz de cozinhar, por exemplo, ou cuidar dos muitos netos (os de sangue e os de coração), era capaz de não comer só para que os outros tivessem o que comer. Era uma Mulher generosa, altruísta e incrivelmente simples.

Os "role-model", as pessoas que nos inspiram e que são referência, têm, pois, esse impacto, ou seja, "cravam" na nossa medula valores que perduram. Mas porque partilho convosco este tema, nesta minha rubrica relacionada com os recursos humanos? Seria quase redundante dizer que escrevo o que sinto e o que me vai na alma, como forma de apaziguar o vazio, é certo... mas, sobretudo, pelas boas memórias e pelo legado que a minha avó me deixou.

Vivemos todos num mundo VICA (VUCA, em inglês), volátil, incerto, complexo e ambíguo, onde as exigências imediatas para responder às necessidades de uns e outros, mascaram os princípios e valores que fazem de nós as pessoas que somos. Na ânsia de querer ser o melhor, de querer ter a melhor organização, de querer obter os melhores resultados, o que se dá de facto que não faz sentido e existem situações onde até se entra em conflito com aqueles que são os nossos valores.

A forma como pessoas, como a minha avó Anita Teresa, impactou na minha vida reflecte-se na pessoa que sou hoje. Na forma como me posiciono relativamente à vida, às pessoas, aos desafios que me são propostos.

Quando se tem uma função de liderança efectiva ou não, todas as atenções estão canalizadas nessas pessoas, a forma como actuam, a forma como não actuam, o que dizem, como o dizem, o impacto positivo e destrutivo que têm nos outros. Estes líderes, também tiverem os seus modelos de referência, mesmo que, por vezes, não tenham essa consciência ou, simplesmente, o possam negar. Mas há sempre al
guém que nos inspira, alguém com o qual nos identificamos e que queremos ser como ela, pelas mais variadas razões: porque é inspirador, autoritário, poderoso, altruísta, rico...

Se fizer agora uma rápida reflexão sobre o tipo de líder que é? O que descobre sobre si? E repare que não necessita de ser o presidente de uma organização. Quais são os seus valores? Como lidera? O que pretende alcançar com a sua liderança? Quem foram as pessoas que o inspiraram?

*Especialista em Recursos Humanos

(Leia o artigo integral na edição 622 do Expansão, de sexta-feira, dia 30 de Abril de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i