Novo governo de Cabo Verde "engorda" e Finanças ficam com super ministério

Novo governo de Cabo  Verde "engorda" e Finanças ficam com super ministério
Foto: D.R.

Olavo Correia, como vice-primeiro-ministro e agora super-ministro, com as pastas das Finanças, Fomento Empresarial e Economia Digital, mantém-se como a segunda figura do novo governo, chefiado por Ulisses Correia e Silva, do MpD, que tomou posse esta quinta-feira, e que conta com mais 8 elementos do que o anterior Executivo.

Ao todo são 18 ministros e nove secretários de Estado, num governo com mais mulheres, passam de quatro a nove, e com uma delas promovida a ministra de Estado.Trata-se de Janine Lélis, a quarta figura na estrutura do governo da X Legislatura, que assume a Defesa e Coesão Territorial, sendo substituída no Ministério da Justiça e do Trabalho por Joana Rosa.

A opção por um governo maior vai gerar "alguma despesas a mais, mas trará como contrapartida mais eficácia, maior eficiência e melhores resultados da governação", afirmou o primeiro-ministro, antecipando as críticas que começaram a circular nas redes sociais assim que a lista com o novo elenco foi apresentada ao Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

Nas pastas mais económicas estão quatro homens. Carlos Santos mantém o Ministério do Turismo e Transportes, Paulo Veiga fica como ministro do Mar, com a área de Economia Azul, Alexandre Monteiro assume o Comércio, Indústria e Ambiente e Gilberto Silva continua como ministro da Agricultura e Ambiente. Rui Figueiredo Soares mantém-se no Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional. Jorge Santos, que na legislatura anterior presidia à Assembleia Nacional, vai chefiar o Ministério das Comunidades Cabo-verdianas na Emigração.

(Leia o artigo integral na edição 625 do Expansão, de sexta-feira, dia 21 de Maio de 2021, em papel ou versão digital com pagamento em Kwanzas. Saiba mais aqui)

Partilhar no Facebook

Comentários

Destaques

ios Play Store Windows Store
 
×

Pesquise no i