Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Empresas & Mercados

O Insead e a Universidade de Tsinghua criaram um MBA e há um aluno angolano a fazê-lo

MBA, Ranking FT 2021

Vamos por partes, o Insead lidera o ranking FT e a Escola de Economia e Gestão da Universidade de Tsinghua passou a integrar o ranking este ano e afirma-se como uma das escolas mais conceituadas do mundo, juntos criaram um MBA e há um angolano que o frequenta, Osvaldo Macaia, o vice-presidente do BFA

A pandemia mexeu com as mais conceituadas escolas de economia e gestão, que tiveram que se adaptar a novas necessidades, quando os alunos começaram por preferir escolas mais perto de casa dadas as restrições de viagens para evitar a propagação do coronavírus.

O ranking global MBA do Financial Times de 2021 (FT MBA 2021), que elenca as 100 escolas de topo, reflecte essa alteração.

A London Business School, em Londres, e a Stern School of Business da Universidade de Nova Iorque, em duas grandes cidades, continuam a ser das mais procuradas, logo a seguir ao Insead (Instituto Europeu de Administração de Empresas) que a partir de Fontainebleau, em Paris, alargou os seus campus universitários a Singapura e ao Abu Dhabi, e lidera o ranking de 2021 do FT.

Entretanto, o Insead criou uma parceria com a Escola de Economia e Gestão da Universidade de Tsinghua, em Pequim, e da proposta saiu o Tiemba (MBA Executivo Tsinghua Insead), que Osvaldo Macaia, de 37 anos, vice-presidente do BFA (Banco de Fomento de Angola), frequenta por esta altura.

Antes de ocupar o cargo de vice-presidente não executivo do Conselho de Administração do BFA, Osvaldo Macaia, natural de Cabinda, licenciou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto, em 2006, e fez uma pós-graduação em Direito Empresarial e do Trabalho na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, em Portugal, em 2009.

Há mais de 15 anos que faz a sua carreira na Administração do Estado, começou no Ministério do Trabalho e da Administração Pública passando depois para o Ministério das Finanças. Entre 2018 e 2021, por nomeação do Presidente da República, assumiu as funções de vogal da Comissão Executiva da Sonangol.

"Fazendo este competitivo e desafiador MBA, pretendo adquirir bases sólidas nestas áreas do conhecimento, além de conhecer e estar exposto ao ambiente internacional de negócios e ter a minha primeira experiência de aprendizagem fora de um país de língua portuguesa", afirmou Osvaldo Macaia a propósito desta sua nova aposta académica.

O Tsinghua - Insead Executive MBA (Tiemba) é uma parceria única entre a Insead e a Universidade de Tsinghua e o programa presencial decorre nos campus em Singapura, Abu Dhabi (EAU) e Fontainebleau (França) e agora no campus de Tsinghua em Pequim, numa diversidade cultural que tem tudo a ver com o actual mundo dos negócios.

Além do mais, se o Insead, a escola da elite política francesa que hoje se alarga à elite financeira global, abre portas em qualquer parte do mundo, a Universidade de Tsinghua, profundamente ligada ao desenvolvimento e crescimento da China e escola da elite empresarial chinesa, abre portas na Ásia.

Sendo a China, por diversas razões, um parceiro relevante de Angola, senão vejamos: em 2020, o PIN angolano foi estimada em cerca de 60 mil milhões d dólares, o rácio do PIB/dívida é de cerca de 120%, 55% são dívida externa, e 70% dessa dívida é à China, compreender a economia e a cultura empresarial chinesa é essencial.

"Só uma relação que passa que passa cooperação política entre Estados para a cooperação entre povos (cidadãos e empresas) se pode afirmar como sólida, duradoura e próspera", considera Osvaldo Macaia. Este MBA, que terá de ser feito online devido ao covid, é um passo essencial nesse sentido.