Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

África

Arrancou a primeira perfuração de petróleo em São Tomé e Príncipe

África

No dia em que o presidente daquele país, Carlos Vila Nova, inicia uma visita oficial a Angola, a Agência Nacional de Petróleo e Gás confirma que já começaram os trabalhos de perfuração no mar. A colaboração com a Sonangol para o projecto de exploração offshore nos mares de São Tomé e Princípe é um dos temas da sua agenda.

São Tomé e Príncipe iniciou, com um mês de atraso em relação à data prevista, a primeira perfuração de petróleo da sua Zona Económica Exclusiva (ZEE), num bloco detido, em partes iguais, pela empresa britânica Shell (40%) e a portuguesa Galp (40%), tendo ficado o Estado com 10%.

"O início da perfuração de exploração do poço Jaca marca uma etapa importante porque permitirá, pela primeira vez, a recolha de informação mais precisa sobre a nossa ZEE", refere Luiz Gamboa, director executivo da Agência Nacional do Petróleo de S. Tomé e Príncipe.

As operações irão durar 60 dias, seguindo-se um período de mais 45 dias para a reali[1]zação de um estudo para "declarar ou não a fiabilidade da zona", como esclarece Luiz Gamboa à Lusa