Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

África

Zâmbia suspende exportações de energia para evitar apagão geral

CRISE ENERGÉTICA NA ÁFRICA AUSTRAL

A crise energética na Zâmbia obrigou o governo a iniciar, em Dezembro, um plano de racionamento no fornecimento de electricidade.

A Zâmbia suspendeu as exportações de electricidade para alguns países vizinhos, devido à redução da capacidade de produção de energia, provocada pela diminuição dos níveis de água que abastece as centrais hidroeléctricas, uma situação que está a afectar vários países de África Austral. A capacidade de produção da principal central hidroeléctrica do país foi reduzida dos 1.080 megawatts instalados para menos de 400 megawatts, segundo a companhia estatal de electricidade.

A crise energética na Zâmbia obrigou o governo, em Dezembro, a racionalizar o fornecimento de electricidade, para evitar um apagão. A 2 de Dezembro, o ministro da Energia, Peter Kapala, anunciou no Parlamento a implementação de um plano de redução de seis horas diárias no fornecimento de energia, a partir do dia 15 de Dezembro, até que os níveis de água da Central Eléctrica de Kariba aumentem. A situação agravou-se com a diminuição da energia fornecida pela Autoridade do Rio Zambeze, propriedade dos governos da Zâmbia e do Zimbabwe, que limitou a 600 os MW distribuídos à Zâmbia e a 300 os MW fornecidos aos Zimbabwe.

Os esforços para racionalizar o fornecimento e impedir um apagão não têm sido suficientes e na primeira semana de Janeiro a Zesco Limited, a empresa estatal de electricidade, teve de iniciar um exercício de 12 horas diárias de rotação de carga, devido a uma redução drástica de água disponível na central eléctrica de Kariba, a maior do país.

Dois dias depois, na sexta-feira, 8, o governo anunciou a suspensão temporária das exportações de electricidade para alguns países vizinhos, enquanto tenta aumentar a produção de energia, através de outros produtores, como a central eléctrica de Ndola, na província de Cooperbelt, e a central elléctrica de Kafue Lower Gorge.

A situação foi agravada, segundo o jornal The Independent, pela remoção de um gerador de 150 MW na central eléctrica Maamba Collieries Limited, alimentada a carvão, para manutenção anual de rotina de 4 a 20 de Janeiro. Na semana passada, o Presidente da Zâmbia, Hakainde Hichilema, anunciou que estavam em curso discussões para encontrar soluções de curto prazo para a crise de electricidade, a fim de evitar a inversão dos ganhos obtidos na revitalização da economia.