Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Economia

Novo Aeroporto de Luanda muda de estratégia e vai arrancar com operações de carga

No II Semestre de 2023

A inauguração do novo aeroporto de Luanda (NAIL) vai ser feita para operar apenas carga, numa primeira fase, um período que servirá de "teste" e implantação dos serviços, para depois arrancar com o tráfego de passageiros.

A estratégia para a abertura do novo aeroporto foi alterada, assumindo-se agora que vai arrancar apenas a operar carga, um período que servirá também de teste às infra-estruturas e permitirá preparar a operação com passageiros de forma mais estruturada. Isto acontece também porque o País poderá assinar um grande contrato com um operador chinês que quer fazer do NAIL um hub no transporte de carga para todo o continente africano.

O projecto vai sofrer algumas alterações e as prioridades para o término das obras serão diferentes, agora que o início das operações comerciais já não será com passageiros e carga, o que facilita a entrada em funcionamento do novo aeroporto. Ainda assim, esta operação comercial apenas com carga não deverá acontecer antes de Julho do próximo ano, apesar do anúncio da inauguração em Abril por parte do Presidente João Lourenço no comício da Camama.

Recordar que o prazo para a entrega do aeroporto pronto por parte do empreiteiro AVIC está agendado para Junho de 2023, e mesmo que seja antecipada, é necessário depois esperar pela saída da certificação internacional da infraestrutura. De acordo com o que Expansão apurou junto dos responsáveis da obra, em Abril não será possível arrancar a operação comercial, mas as obras estão a correr bem e podem ter início em Julho do próximo ano.

Outro dos aspectos que foi levado em conta para esta opção tem a ver com sobredimensionamento da estrutura, preparada para receber 15 milhões de passageiros/ano, um valor muito acima do que hoje acontece (o fluxo actual de passageiros não ultrapassa os dois milhões) sendo que esta vocação na carga, que já é hoje a maior fonte de receita da TAAG, pode permitir que a rentabilização do NAIL seja mais fácil e mais célere. O projecto global do novo aeroporto, como o Expansão já publicou, implicou um investimento acima dos seis mil milhões de dólares

A operação de carga pode incentivar o desenvolvimento das estruturas de apoio à volta do aeroporto, as empresas de logística tenderão a fixar-se, dando assim início ao que se espera que venha a ser uma nova cidade aeroportuária. Esta solução também dá tempo para organizar o tráfego de passageiros, que se apresenta mais complexo e com maior necessidade de pessoas e de equipamentos.