Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Economia

Gás já é o segundo principal produto de exportação do País

Depois do petróleo

As exportações de gás dispararam 250% para 3,6 mil milhões de USD em 2021 face a 2020, e este é já o segundo principal produto de exportação de Angola, representando 11% do total das vendas do País ao exterior, de acordo com cálculos do Expansão com base nas estatísticas externas do Banco Nacional de Angola (BNA).

A luta pelo segundo lugar no ranking das exportações continua acesa. Com uma receita de exportação de 1,5 mil milhões USD no ano passado, os diamantes foram novamente destronados como segundo principal produto de exportação de Angola, lugar que tinham recuperado em 2019.

Na base do crescimento das receitas de exportação do gás está o aumento do preço médio de venda deste produto, medido em barris de petróleo equivalente, que, de 2020 a 2021, subiu de 22 USD para 91 USD. Aliás, as quantidades de gás exportadas no ano passado até caíram 16%, mas o preço em alta compensou as perdas e contribuiu fortemente para elevar as receitas com a exportação do gás.

As exportações de gás englobam o LNG e os líquidos extraídos do gás natural - propanos, butanos e condensados. Claro que há valores separados para cada um dos produtos, sendo o LNG o que atinge maior valor e que puxa o preço médio de venda do gás para cima. Segundo os dados da exportação de gás, no primeiro trimestre de 2022, tudo indica que este ano as exportações de gás vão continuar a ser a segunda maior fonte de receitas para o Estado com a exportação.

De acordo com o colaborador do Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola, José Oliveira, este ano as exportações do Angola LNG atingiram, só no primeiro trimestre, um valor global de 1.705 milhões USD ( dos quais 1.486 milhões só de LNG). Valor que, só por si, já superou o total das exportações de diamantes em 2021, aquele que foi o melhor ano dos diamantes na última década.