Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Economia

Produção industrial em terreno positivo pelo IV trimestre consecutivo

DISTRIBUIÇÃO DE ELECTRICIDADE RECUPERA

A extracção de petróleo continua a ser o motor da produção industrial em Angola. A indústria transformadora teve um ligeiro crescimento de 0,9% no primeiro trimestre, mas a indústria metalúrgica caiu 3,1%.

A produção industrial em Angola cresceu no l trimestre de 2022 ao subir 2,5% comparativamente ao mesmo período de 2021, impulsionada pela evolução positiva na produção e distribuição de electricidade, gás e vapor" com 7,7%, indústrias extractivas com 3,0% e pela captação, tratamento e distribuição de água e saneamento" com 1,8%, indicam os dados do inquérito da Produção Industrial (IPI), publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) na semana passada. É a segunda subida consecutiva do indicador depois de sete anos a navegar em terreno negativo.

Comparativamente ao trimestre anterior, a actividade industrial observou uma variação de 1,0%, influenciada pela actividade da produção e distribuição de electricidade, gás e vapor com 6,9%, indústrias transformadoras com 1,3%, captação, tratamento e distribuição de água e saneamento, com 1,1% e pelas indústrias extractivas, com 0,5%. A recuperação da produção industrial em Angola é o resultado do fim das medidas restritivas provocadas pela pandemia da Covid-19 e dos consecutivos decretos sobre a calamidade pública. Tudo isto se reflectiu também no crescimento da economia.

O economista José Lopes diz que esta recuperação ainda não aquece a economia, apesar de ser um indicador positivo no sector industrial. "Tivemos cinco anos de estagnação da economia, este é um sinal positivo, mas há que manter os apoios financeiros. É preciso que o Estado continue a desenvolver políticas económicas que contribuam para o fomento da produção industrial", disse o economista.

José Lopes entende que a actividade industrial em Angola começa a ganhar algum fôlego e terreno depois de vários anos a navegar em terreno negativo, mas alerta que não valem os entusiasmos porque, segundo avança. o pior ainda não passou, tendo em conta os efeitos da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, que tem elevado a inflação lá fora a níveis históricos.

"O recurso à importação das matérias-primas pode afectar a produção industrial, tendo em conta o aumento dos preços no mercado internacional e isto poderá afectar a produção industrial em Angola", disse o economista. Adianta, por outro lado, que o cocktail de financiamentos disponibilizados, no âmbito do apoio financeiro ao sector produtivo, com as linhas de crédito abertas para o aumento da produção, também estão a contribuir para o aumento da produção industrial em Angola.

A recuperação do indicador da produção industrial, de acordo com o relatório, confirma o crescimento do índice de pessoal ao serviço. No l trimestre deste ano, os trabalhadores na indústria aumentaram 2,6% em relação ao período homólogo do ano passado. Este aumento indica que mais pessoais estiveram a trabalhar na indústria. A par da produção e distribuição de electricidade, a indústria extractiva foi a que também contribuiu para potenciar o crescimento da produção industrial nos primeiros três meses deste ano com uma subida de 3,0% face ao mesmo período do ano passado.

A produção de diamantes cresceu 5,2%% durante o período em referência, registando a maior subida de produção nas indústrias extractivas, mas se olharmos para a variação trimestral, a exploração de diamantes afundou 26,4%, entre o lV trimestre de 2021 e o l trimestre deste ano. Com base nos dados do relatório, a explicação é simples, reconhece o economista José Lopes. A retoma da produção de unidades paralisadas por causa da pandemia da Covid-19, a abertura de novas unidades industriais e o reforço dos financiamentos ao sector está na base desta melhoria do indicador. Já a fabricação de produtos petrolíferos e químicos fixou-se nos 2,1% e as indústrias alimentares, sobretudo do processamento de alimentos, cresceram 1,5%, mantendo o indicador positivo para o sector da indústria transformadora.

Na comparação com I trimestre de 2021, quatro das 18 actividades industriais pesquisadas apontaram recuo na produção, enquanto em relação ao IV trimestre do ano passado três registaram quebra. Apesar da ligeira recuperação, José Lopes diz que os dados do INE não deixam dúvidas de que as medidas de alívio adoptadas pelo Governo em Abril de 2020 para responder à crise da Covid- -19 estão a dar resultados.

A manter a tendência de queda, esteve a indústria metalúrgica, que "vale" apenas 0,33% do Índice de Produção Industrial em Angola. No primeiro trimestre de 2022, a extracção de petróleo teve um peso de 87% do índice, ou seja, a produção industrial ainda é suportada pela extracção de petróleo. O relatório do INE indica que entre Janeiro e Março de 2022, vários sectores de actividade tiveram um desempenho positivo, o que aumentou a confiança dos empresários na evolução da economia no curto prazo.

Quanto à produção de bens, os bens intermédios, que são produtos utilizados no processo de produção de produtos acabados (matérias-primas), aumentaram 0,6% face a 2021. Já os bens de consumo cresceram 1,2% e os produtos de energia subiram 3,6%.