Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Empresas & Mercados

ANPG contrata estudo para avaliar blocos de petróleo abandonados por 3 milhões USD

Blocos em terra

Após ao incidente em Cabinda e os danos causados à população, a concessionária gasta 3 milhões USD em estudo para localizar poços abandonados no País.

A Agência Nacional de Petróleo Gás e Biocombustiveis (ANPG) recebeu luz verde do executivo para investir 3 milhões USD para localizar todos os poços abandonados no Oaís. A decisão surge na sequência do derrame petrolífero na concessão do bloco petrolífero abandonado da zona centro em Cabinda, onshore, que causou vários danos à comunidade e ao ambiente.

O bloco petrolífero em Cabinda onde ocorreu o incidente existe desde os anos 60 e 70, e constitui perigo para a população lê-se no Decreto Presidencial 139-D. Para evitar a mesma ocorrência decidiu-se iniciar estudos para localizar todos os poços perfurados e abandonados em terra, localizados nas províncias de Cabinda, Zaire, Cuanza Norte, Cuanza Sul e Luanda.

O objectivo é conhecer as condições atuais e tomar medidas de forma a mitigar e evitar outros danos à população que vive nas zonas onde estão localizados esses blocos petrolíferos abandonados. O executivo autorizou a despesa de 3.000.000 USD (três milhões de dólares) e formalizou a abertura do procedimento simplificado de contrato emergencial para aquisição dos serviços de inspecção de poços perfurados e abandonados em terra (Onshore). A administração da ANPG está autorizada a aprovar os documentos do procedimento de contratos.

Este projecto surge também numa altura em que se está a levantar no norte uma onda crescente de contestação à exploração petrolífera Em meados de Março deste ano, ocorreu um derrame de petróleo num poço abandonado pela Chevron há vários anos. De acordo com relatos da população, o crude jorrou do poço durante alguns dias. O incidente foi colmatado pelas autoridades com o apoio da Chevron. O referido poço já tinha sido abandonado pela petrolífera, ou seja, após o fim das operações a petrolífera encerrou o poço e entregou-o às autoridades.

Entretanto na localidade onde se encontra o poço hoje residem algumas populações, o que segundo a imprensa local o derrame colocou em risco o bem estar das populações. Também em outras partes do mundo existem inúmeras histórias sobre o impacto dos poços abandonados