Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Universidade

ISPTEC abre quatro cursos de mestrado em engenharia

AS INSCRIÇÕES ESTÃO ABERTAS ATÉ AO DIA 30 DE JULHO

Os interessados deverão apresentar, entre os requisitos, uma média igual ou superior a 14 valores. E já há data para o arranque das aulas: 12 de Setembro é o ponto de partida, com aulas de Segunda à Quinta-feira.

Quatro cursos de mestrado em engenharia foram lançados, esta semana, pelo Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências (ISPTEC) que vem reforçar a base curricular dos estudantes daquela instituição de ensino, de acordo com quatro editais que aprovam os cursos. Trata-se dos cursos de mestrado em engenharia de petróleos, engenharia de Sistemas Cyber Físicos, do ambiente e Química, cursos que tiveram de esperar pela avaliação e aprovação do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologias e Inovação (MESCTI).

O curso de mestrado em inovação e engenharia de Sistemas Cyber Físicos (MINESC) será implementado, segundo a estratégia do ISPTEC, em parceria com a Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto (FEUAN) e em cooperação com a UTC e a UTBM (Universidades de Tecnologia de Compiègne e Belfort Montbéliard) da França. Para já, são elegíveis para inscrição candidatos licenciados em engenharia química ou outras áreas afins.

Entretanto, candidatos de áreas de engenharia conexas estarão sujeitos à avaliação da comissão científica do curso, apresentado uma média igual ou superior a 14 valores. "Os candidatos que não preenchem os requisitos podem inscrever-se no curso de mestrado em engenharia química, mas serão submetidos ao exame de acesso e defesa de um projecto de investigação vinculado às linhas de investigação do curso", refere o edital.

De exigências não é tudo. Os candidatos interessados nos cursos devem apresentar um formulário preenchido e assinado pelo candidato acompanhado da cópia do Bilhete de Identidade ou passaporte, apresentação obrigatória da carta de referência, fotocópia do certificado de habilitação, com disciplinas e notas discriminadas. Devem ainda aprsentar o diploma ou certificado de licenciatura, curriculum vitae, recibo do pagamento do emolumento de candidatura no valor de 42 mil Kz, duas fotografias tipo passe, entre outros requisitos. As inscrições vão até o dia 30 de Julho.

Os candidatos também podem preencher a ficha de matrícula através do e-mail posgrad@isptec.co.ao, para a secretaria de pós-graduação do ISPEC. As aulas terão inicio no dia 12 de Setembro e serão realizadas de segunda à quinta-feira. O ano lectivo será dividido em 4 trimestres. O 1º trimestre será de Setembro a Novembro, o 2º de Dezembro a Fevereiro, o 3º de Março a Maio e o 4º de Junho a Agosto.

Marcílio dos Santos, director- -geral do ISPTEC, explicou que os cursos de mestrado aprovados estão sustentados na estratégia de formação e aperfeiçoamento do capital humano, para garantir competências técnicas e habilidades para intervirem, de forma integrada, no desenvolvimento da investigação científica e tecnológica nas áreas específicas de formação.

"A exigência da dedicação dos discentes deste curso, principalmente no desenvolvimento da investigação científica e tecnológica, deve garantir a solução de muitos problemas das especificidades dos cursos que exigem estudos avançados e profícuos, cujos resultados deverão garantir a publicação de artigos científicos em revistas indexadas e com factor de impacto, condição que deve favorecer a qualificação dos processos desenvolvidos pelo corpo docente do ISP[1]TEC", explicou o acadêmico.

O responsável acredita que a aprovação e o arranque dos cursos de mestrado no ISPTEC, mostra os "esforços empreendidos" pela instituição como um todo, com vista a consolidação da investigação científica, promovendo uma formação reflexiva e criativa para este nível académico.

Já o coordenador dos cursos de Pós-Graduação do ISPTEC, António André Chivanga Barros, avança que os cursos "vão impulsionar o desenvolvimento de estudos práticos", utilizando as estruturas laboratoriais da instituição para garantir o entendimento dos diversos fenómenos envolvidos nas operações e processos, com a implementação da investigação científica. O Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências foi criado em Fevereiro de 2005