Saltar para conteúdo da página

Logo Jornal EXPANSÃO

EXPANSÃO - Página Inicial

Empresas & Mercados

Brent abaixo dos 80 dólares

SEMANA DE 17 A 22 DE NOVEMBRO

No mercado cambial, o dólar perdeu valor face ao Euro. Analogamente, os metais preciosos beneficiaram da fraqueza do dólar norte-americano, tendo o ouro ganho 1,89% e a prata cerca de 3,32%.

Os preços do petróleo desvalorizaram nos últimos 7 dias, ao contrário do que se verificou na semana anterior. Até à sessão de quarta-feira, o barril do Brent negociado em Londres perdia 2,32% para 79,3 USD, enquanto o WTI em Nova York avançava 2,56% para 74,7 USD.

No início da semana, o mercado mostrava-se optimista quanto aos preços do barril devido à expectativa que se tinha com a reunião da OPEP+, onde se perspectivava um aprofundamento dos actuais níveis de corte de produção do cartel. Contudo, o optimismo reverteu-se devido ao adiamento da referida reunião (anteriormente definida para o dia 26 de Novembro), pela falta de consenso sobre os níveis de corte entre os membros.

No mercado accionista, os índices bolsistas tiveram uma ligeira valorização face à semana anterior, com realce para o índice S&P 500 que subiu 0,95% nos EUA e o Euro Stoxx 600, na Europa, que avançou 0,94%.

As negociações poderão ter sido influenciadas pela perspectiva de uma política monetária mais restritiva nos próximos tempos. Nos EUA, foram publicadas, esta semana, as actas da última reunião da Reserva Federal (Fed) que, apesar de mostrarem uma abordagem cautelosa, indicaram que a taxa de juro directora poderia voltar a subir em caso de se observar pouco progresso no combate à inflação. Da mesma forma, o Banco Central Europeu (BCE) sustentou que, os próximos meses poderão trazer leituras ligeiramente mais elevadas da inflação core e reiterou que, se os factores externos ameaçarem o processo de combate à inflação, novas medidas poderão ser tomadas.

No mercado cambial, o Euro subiu de forma ligeira, cerca de 0,24% face ao Dólar devido à queda de 0,6% do índice de produção industrial dos EUA. O índice DXY da Bloomberg, que acompanha a evolução do dólar, desvalorizou 0,31% na semana, para 103,73 pontos, tendo atingido níveis mínimos de dois meses.

Já no mercado de commodities, os metais preciosos beneficiaram da fraqueza do dólar, tendo o ouro valorizado 1,89% e a prata cerca de 3,32%.

Por fim, dá-se destaque à decisão do Banco do Povo da China (o banco central do País), desta segunda-feira, sobre a manutenção da taxa de juro de referência em 3,45%, pelo quarto mês consecutivo. Sendo este indicador, estabelecido como referência para as taxas de juro desde 2019 e utilizado para fixar o preço dos novos empréstimos, destinados às empresas e os reembolsos dos empréstimos à taxa variável.