Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Opinião

Liderança e foco, como conciliar?

CAPITAL HUMANO

Talvez não tenhamos fórmulas de sucesso, mas sim: Foco no que pretende alcançar no futuro, gerir os seus comportamentos, partilhar com os outros aquilo que, de facto, é necessário para construir a cultura da organização. Está tudo interligado.

Creio que todos queremos ter foco para responder com sucesso aos desafios profissionais com que nos deparamos. Mas afinal o que é que isso significa? Ter foco. Não deixar de ser contagiado com tudo aquilo que aparentemente é urgente, é importante, é necessário, mas que, no final do dia, apenas consumiu a sua energia e desviou-o daquilo que era de facto relevante. Poderá fazer formações, programas de desenvolvimento para poder melhorar o foco, mas frequentemente, para alguns, tudo se esfuma tão rapidamente. Manter o foco naquilo que considera ser relevante é um desafio, sabe disso não sabe?

Há cerca de cinco anos, escrevia aqui no jornal Expansão o meu primeiro artigo e falava de Detox Tecnológico, onde deixava a reflexão sobre a importância de reduzirmos a nossa dependência das redes sociais ou da síndrome de ver todos os e-mails e responder rapidamente. Posso dizer que, volvidos estes anos, continuo a "lutar" diariamente para não criar essas dependências, não é fácil. Não é sobretudo fácil quando as solicitações devem ser respondidas no imediato, mas afinal podem aguardar, quando o volume de informação para ser analisada, trabalhada é insustentável, quando é importante manter o foco, para que os resultados aconteçam. Esta atenção está dividida entre família, trabalho, amigos, social e o Eu.

Quão focado e atenção presta e cuida de si? Qual o foco com que responde aos desafios da sua família, dos seus filhos caso tenha? Quão rapidamente está a responder às solicitações profissionais? E que impacto é que isso tem no seu dia-a-dia? Como vai alcançar? Como pode manter o foco? Manter o pensamento naquilo que é realmente importante. Como saber o que é e concentrar no futuro, para que possa fazer aquilo que permita a sua concretização. Os objectivos que queremos alcançar, são externos a nós, há sempre uma dependência de alguém ou de alguma coisa que pode limitar.

Por outro lado, quando quiser manter o foco, se considerar os seus comportamentos, é você que os controla e não necessita de terceiros para os alcançar. Como pode definir que comportamentos são necessários para manter o foco e alcançar os objectivos? Como poderá definir diariamente, semanalmente, mensalmente? E confirmar o que o pode estar eventualmente a desviar do seu objectivo? Dá trabalho ter esta consciência e definir? Talvez... depende da forma como encara aquilo que lhe é relevante. É essencial ajustar, adequar, compreender o que é imprescindível para o manter focado e ter sucesso, num processo de muitas tentativas e erros. Mas é esse processo que o ajuda a chegar mais próximo daquilo que é o seu objectivo, com os comportamentos necessários para que mantenha o seu foco.

Enquanto líderes, temos como função dirigir a atenção para aquilo que é de facto relevante. E ter-se a capacidade de mudar a atenção no que é pertinente, com consciência do enquadramento e realidade e aproveitando as oportunidades disponíveis. De acordo com Daniel Goleman, "O foco do líder irá reflectir-se nos seus comportamentos, mas é a sua habilidade em conjugar um foco interno sobre o ambiente e a cultura com outro foco no horizonte competitivo e um foco externo sobre as realidades mais alargadas que moldam o meio ambiente em que opera.

O campo de atenção do dirigente - isto é, as questões e os objectivos particulares em que se foca - guia a atenção daqueles que o seguem, independentemente de o líder os articular explicitamente. As pessoas fazem as suas escolhas sobre onde se hão-de focar, baseando-se na percepção daquilo que é importante para os dirigentes." Curioso, não é? As percepções dos liderados, permitem seguir os líderes, manter o foco daquilo que é a expressão da cultura de uma organização. Por isso, talvez não tenhamos fórmulas de sucesso, mas sim: Foco no que pretende alcançar no futuro, gerir os seus comportamentos, partilhar com os outros aquilo que de facto é necessário para construir a cultura da organização. Está tudo interligado. O foco é aquilo que verdadeiramente acredita e prioriza, quando tiver dúvidas, simplifique e veja qual o resultado que quer de facto alcançar!