Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Empresas & Mercados

ENDIAMA investiu 100 milhões USD na produção de diamantes após perder a função de concessionária

Em 2021

A diamantífera angolana investiu, no exercício económico de 2021, 100 milhões USD na prospecção, produção e lapidação de diamantes, revelou o presidente do conselho de administração da ENDIAMA, Ganga Júnior, esta segunda-feira, numa conferência de imprensa em alusão ao 41º aniversário daquela empresa.

Ganga Júnior indicou ainda que, deste total, 70 milhões USD foram investidos no aumento da sua participação na Sociedade Mineira de Catoca (SMC), onde passou a deter 41% do capital, e os restantes 30 milhões foram aplicados noutros dois projectos diamantíferos.

Lembrou, por outro lado, que a ENDIAMA está actualmente concentrada em acções que visam potenciar as actividades geológico-mineiras, visando o aumento da produção, bem como expandir a sua actuação em toda a cadeia de valor do diamante, mediante o estabelecimento de parcerias no ramo da lapidação e da joalharia.

Em termos de capital humano do subsector dos diamantes, a diamantífera conta com uma força de trabalho de 19.461 trabalhadores, distribuídos por várias profissões e grupos etários, sendo 15.096 directos e 4.365 indirectos. Deste total, 454 pertencem à ENDIAMA. Este número, segundo Ganga Júnior, tende a crescer, tendo em conta a estratégia de dinamização e implementação de novos projectos, tanto em prospecção como em produção.

O programa de retorno à produção própria, com a perda da função de concessionária em 2021, e o aumento da produção teve como resultado a continuidade dos trabalhos de investigação geológico-mineira nas concessões de Sangamina e Luachimba e a identificação de 13 novas concessões para a ENDIAMA, bem como a melhoria da estrutura organizativa e operacional das minas de Calonda, Kaixepa, Luembe, Luminas, Lunhinga e Úari.

Actualmente, encontram-se em prospecção 39 projectos (11 primários e 28 secundários), localizados nas províncias da Lunda Norte, Lunda Sul, Moxico, Malanje, Cuanza Sul, Huambo e Bié e em produção 13 empresas mineiras (3 primários e 10 secundários), localizadas nas províncias da Lunda Norte e da Lunda Sul.

Para este ano, está projectada uma produção de 10,05 milhões de quilates e proveitos na ordem dos USD 1,4 mil milhões USD.