Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Mundo

"Esta guerra é tanto culpa de Putin como de Zelensky"

Mundo

O antigo presidente do Brasil, Lula da Silva, considerou que o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, é tão responsável quanto o seu homólogo russo, Vladimir Putin, na guerra entre os dois países.

Numa entrevista à revista Time em que fala sobre o seu regresso à política, o brasileiro deu ainda o seu parecer sobre o conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Confessando não saber "se seria capaz" de evitar o conflito, Lula da Silva tem pelo menos uma certeza: esta guerra é tanto culpa de Putin como de Zelensky.

"E agora, às vezes fico a ver o presidente da Ucrânia na televisão como se estivesse a festejar, sendo aplaudido em pé por todos os parlamentos, sabe? Esse cara é tão responsável quanto o Putin.. Porque numa guerra não tem apenas um culpado", afirma.

O ex-governante defende que "se fosse presidente hoje, teria ligado para o presidente americano Joe Biden, teria ligado para o Putin, para a Alemanha, para o líder francês Emmanuel Macron, porque a guerra não é saída", defendendo a necessidade de dialogar.

Lula admite não conhecer Zelensky mas considera o comportamento do presidente ucraniano estranho, "porque parece que ele faz parte de um espectáculo". "Ele aparece na televisão de manhã, de tarde, de noite, aparece no parlamento inglês, no parlamento alemão, no parlamento francês como se estivesse a fazer uma campanha. Era preciso que ele estivesse mais preocupado com a mesa de negociação", diz, defendendo que as pessoas estão a estimular o ódio contra o Putin e por outro lado a estimular Zelensky que, neste momento, "fica se achando o rei da cocada".

O actual candidato às eleições presidenciais do Brasil, em Outubro deste ano, alega que tem faltado muito diálogo entre ambas as partes e que se por um lado deveríamos dizer a Putin "você tem muitas armas, mas não precisa utilizar armas contra a Ucrânia", também a Zelensky deveria dizer-se que apesar de ser um bom comediante, "não vamos fazer uma guerra só para você aparecer".