Saltar para conteúdo da página

EXPANSÃO - Página Inicial

Empresas & Mercados

Facturação do Porto do Lobito cai em Kz, mas sobe em USD para 32 milhões

MOVIMENTAÇÃO EM 2022

Esta arrecadação é fruto de um movimento de mais de 1,56 milhões de toneladas de cargas diversas, ainda longe da capacidade total de 3,6 milhões de toneladas.

A facturação do Porto do Lobito caiu 7,5% em 2022, saindo dos 15,9 mil milhões Kz em 2021 para 14,7 mil milhões actuais. Mas em dólares a factura cresceu 20,7% devido à valorização cambial que se assistiu durante o ano passado, por causa do preço em alta do barril de petróleo, que é o principal produto de exportação. O crescimento em dólares saiu de 25,3 milhões USD em 2021 para 31,9 milhões USD em 2022, calculou o Expansão com base nos dados do Banco Nacional de Angola (BNA). Em 2021 cada Kwanza valia em média 624,1 USD, sendo que no ano passado a média ficou em 460,4 USD para cada moeda nacional.

Esta arrecadação é fruto de um movimento de mais de 1,56 milhões de toneladas de cargas diversas durante o ano passado, ainda longe da capacidade total do porto de 3,6 milhões de toneladas, em 326 navios de cargas. Apesar de haver uma redução de 19% no movimento de navio, houve um crescimento de 5% de toneladas transportadas em relação ao ano passado, de acordo com o site do Porto do Lobito. De acordo como PCA do Porto do Lobito, Celso Rosas, em termos de carga contentorizada, houve uma redução em relação a 2021, na ordem dos 20% em TEUs. Ou seja, em 2022, foram movimentadas 22.578 contra os 28.233 em 2021.

Um porto senhorio

O Porto do Lobito vai ser gerido no modelo porto senhorio, que, em termos práticos, é um modelo no qual o Estado, enquanto dono das infraestruturas, concessiona parte destes serviços à entidade privada, no caso o consórcio TMV (Trafigura, Mota- -Engil e Venturis), que tem a gestão do Corredor do Lobito também designado por Lobito Atlantic Railway.

Este tipo de gestão vai acontecer este ano com a entrega da concessão do Terminal Mineraleiro e, posteriormente, do Terminal Polivalente ao consórcio TMV. De acordo com Celso Rosas, que falava à Angop, a administração do Porto terá como principais atribuições regular e fiscalizar a actividade portuária, exercendo o papel de Autoridade Portuária".

Recorde-se que o Porto do Lobito tinha sido "entregue" aos chineses do consórcio China International Trust Investment Corporation (CITIC) e Shandong Port Group (SPG) por concurso público, mas acabaram por desistir. A infraestrutura em si não lhes abria o apetite, pois tinham a ambição de ficar também com o Corredor do Lobito, que no fundo são duas infraestruturas complementares.