Saltar para conteúdo da página

Logo Jornal EXPANSÃO

EXPANSÃO - Página Inicial

Gestão

Lições do CAN 2023 para a gestão de pessoas

CAPITAL HUMANO

Transpondo essa experiência para o ambiente empresarial, é claro que as apostas em projetos podem não ser sempre bem-sucedidas. O essencial é aprender as lições que surgem das perdas e preparar-se para os próximos desafios. Assim como no futebol, é crucial compreender as lições das adversidades...

Nas últimas semanas, Angola uniu-se fervorosamente para apoiar os seus Palancas Negras durante o maior Campeonato das Nações Africanas, o CAN 2023. Inicialmente, havia ceticismo no país, resultado das várias derrotas ao longo dos anos e da aceitação de que o futebol não era a nossa especialidade. Contudo, a coluna do Gibele, as tranças do Mabululu e os golos do Gelson proporcionaram um ressurgimento surpreendente, reavivando a esperança moribunda. O país, junto com a diáspora, entoou em uníssono o hino nacional, elevando o orgulho patriótico acima das preocupações diárias. Por alguns dias, as dores da fome, pobreza, injustiças e corrupção foram esquecidas; apenas o orgulho nacional importava. Embora os Palancas tenham retornado a casa, a sensação de representatividade positiva no futebol permaneceu. Somos, afinal, capazes! Apesar de ser necessário contar com alguma sorte no futebol, os Palancas Gigantes relembraram-nos de princípios básicos de gestão que devemos agora aplicar para melhorar na próxima oportunidade:

01.Liderança Inspiradora

A liderança desempenhou um papel fundamental no sucesso dos Palancas até os quartos de final, desde o treinador Pedro Gonçalves até o capitão Fredy e coluna do Gibele. A motivação foi um componente significativo desse sucesso, criando uma atmosfera de destemor e coragem. Líderes empresariais podem extrair essas lições para criar ambientes de trabalho positivos, motivando os funcionários, proporcionando um senso de propósito e incentivando o desenvolvimento pessoal e profissional.

01. Trabalho em equipa e colaboração

Apesar de contratempos e desistências, a equipa demonstrou uma unidade notável. Situações de conflito foram tratadas como parte da experiência humana, sendo superadas com colaboração, respeito mútuo e foco no prémio final. Empresas devem promover uma cultura que valorize a colaboração, incentivando a troca de ideias e uma comunicação eficaz entre os membros da equipa

01. Treinamento contínuo e desenvolvimento profissional

Assim como os jogadores se preparam intensivamente durante alguns meses, as empresas devem priorizar programas de treinamento contínuo para aprimorar as habilidades de seus colaboradores. O investimento em desenvolvimento pessoal não apenas eleva o desempenho individual, mas também contribui para o sucesso geral da organização.

01. Adaptação a mudanças rápidas

Tal como no futebol, onde as equipas frequentemente precisam se adaptar a mudanças imprevistas, as empresas enfrentam desafios semelhantes num ambiente de negócios em constante evolução. A capacidade de se adaptar a novas circunstâncias, aprender com os erros e ajustar as estratégias rapidamente é crucial para o sucesso a longo prazo.

01. Gestão de pressão e resiliência Competições de futebol frequentemente são decididas nos momentos de pressão máxima. As equipas vencedoras são aquelas que conseguem lidar com a intensidade da situação e permanecer resilientes diante das adversidades. Apesar de não termos conquistado o troféu, a equipa dos Palancas demonstrou uma notável capacidade de resiliência, especialmente quando figuras influentes da Nigéria anunciaram incentivos financeiros significativos para derrotar, especialmente, Angola. Gelson Dala, com confiança, afirmou que a equipa não se deixaria abalar por esse tipo de declaração. No contexto empresarial, é crucial cultivar a resiliência entre os colaboradores, capacitando-os a enfrentar desafios com serenidade e determinação.

01. Aprender a perder

A expressão "caímos em pé" ecoou intensamente após a derrota com a Nigéria, que foi o bilhete de regresso a casa para os Palancas e todos os adeptos que viajaram até à cidade anfitriã do CAN 2023. Lidar com a derrota é a lição mais desafiadora que podemos extrair de qualquer desafio, projeto ou atividade humana. Os angolanos, com honra e orgulho, demonstraram que mesmo sem avançar mais, estão satisfeitos com o percurso até aqui. Os jogadores de Angola deixaram uma marca significativa neste CAN, cativando até mesmo aqueles que não são angolanos, pois a qualidade de jogo era evidente para todos. Além disso, perder para a Nigéria, tricampeã do CAN (1980, 1994 e 2013), destaca o nível elevado dos jogadores, sem mencionar, segundo relatos de adeptos presentes, que em termos de beleza feminina e vaidade natural, as mulheres angolanas superam as nigerianas de maneira notável. Transpondo essa experiência para o ambiente empresarial, é claro que as apostas em projetos podem não ser sempre bem- -sucedidas. O essencial é aprender as lições que surgem das perdas e preparar-se para os próximos desafios. Assim como no futebol, onde cada derrota é uma oportunidade de crescimento, no mundo empresarial, é crucial compreender as lições das adversidades e estar preparado para os próximos passos.

Leia o artigo integral na edição 762 do Expansão, de sexta-feira, dia 09 de Fevereiro de 2024, em papel ou versão digital com pagamento em kwanzas. Saiba mais aqui)